Esta é uma abordagem de um assunto regional, mas o faço porque não dá para assistir calada as reportagens abordadas quer na mídia impressa, quer em documentários televisivos.

 

        Há muito, vamos nos acostumando com uma sucessão de escândalos, patrocinados por políticos, e com o passar do tempo já nem mais nos lembramos a que diz respeito. O mesmo ocorre com   a violência, que acabou sendo banalizada, face a multiplicação dos casos que diariamente são perpetrados.

 

        O caso da merenda escolar é um escândalo, creio eu, que vai além da corrupção e da violência, é ainda mais grave. O que a faz objeto deste post é por atingir crianças que, além disso, em sua maioria são carentes. Por vezes a merenda oferecida na escola é a única refeição a que a criança tem acesso.

 

        Violência extremada, na rede municipal de ensino, é servir a crianças alimentos em decomposição, metade de uma maçã, salsicha cortada em três para render mais e absurdo dos absurdos, premiar as cozinheiras terceirizadas que economizam nas porções oferecidas aos alunos.Tudo isso foi denunciado em 2007 e se tornou alvo de uma investigação do Ministério Publico Estadual.

 

        Qual o resultado dessa investigação? Ninguém sabe e ninguém viu. Em 2008 tivemos eleições para prefeitos. Porque Martha Suplicy e Geraldo Alkmim, adversários ferozes, principalmente a primeira, de Gilberto Kassab, candidato à reeleição, não levantaram esta questão? Nada foi dito a respeito. Nossa ex ministra do turismo preferiu valer-se de ataque à opção sexual do candidato Gilberto Kassab, mas não mencionou a violência que se exercia sobre as crianças. Foi em sua gestão que a merenda escolar passou a ser terceirizada.

 

        Agora, em 2009 (portanto dois anos depois), nova denúncia.

 

        Aliás, agora já é plural. Foi denunciado que as empresas que se submeteram a licitação haviam se composto para elevar os preços e em reportagem televisiva eu vi fotos de frutas em decomposição e um prato com arroz e feijão. A reportagem dizia que o prato que era servido às crianças pesava 550 ou 560gr( não me lembro com exatidão). A particularidade é que só o prato pesava 450gr. Isto significa que era servido às crianças 90 ou 100gr. de alimentos. Nosso prefeito disse que em maio iria abrir nova licitação para substituir as firmas atuais, mas que temporariamente, elas continuariam responsáveis pelas merendas.

 

        Relativamente à quantidade ou qualidade do que era ofertado nada foi dito pelo nosso prefeito. A abertura de uma CPI para investigar as fraudes foi logo abafada pela base do prefeito na Câmara.

 

        Mais uma sujeira que acaba em pizza. Pena que as crianças nunca tiveram acesso a um pedaço deste saboroso alimento de nossa culinária.

Anúncios